Candidato a Deputado Federal por São Paulo

Mês: janeiro 2019

A razoabilidade do jornalismo tende a zero.

A razoabilidade do jornalismo tende a zero.

O Governo de Romeu Zema possui apenas 30 dias, pegou um estado falido que passa por uma tragédia imensurável, mas tem jornalista que pensa que fazer jornalismo é apenas criticar chamando-o de incapaz.

Romeu Zema é capaz, ainda que tenha dito que só encontraria corpos, é o que tem ocorrido, mas a esperança de encontrar sobreviventes ainda persiste.

Romeu Zema é capaz, ainda que tenha deixado no cargo o secretário do meio ambiente da gestão Pimentel, o secretário é técnico de carreira e possui currículo para o cargo. Porém, defendo que seja exonerado do cargo imediatamente, não confio nas indicações de “Ptistas”, mas o fato dele continuar como secretário, não diminui a capacidade de Zema governar.

Romeu Zema é capaz, está fazendo uma excelente comunicação e coordenação das atividades nas tragédias.

Marco Antonio Villa destila ódio gratuito e pensa que problemas se resolvem criticando diretamente dos holofotes da mídia, a política em Minas Gerais será NOVA sim, o que continua velho é o jornalismo lacrador!

Íntegra  do Discurso de  Jair Bolsonaro, em Davos, na Suíça

Íntegra do Discurso de Jair Bolsonaro, em Davos, na Suíça

Discurso completo:

“Confesso que estou emocionado, Boa tarde a todos!

Agradeço, antes de mais nada, o convite para participar deste fórum e a oportunidade de falar a um público tão distinto.
Agradeço também a honra de me dirigir aos senhores já na abertura desta sessão plenária.
Esta é a primeira viagem internacional que realizo após minha eleição, prova da importância que atribuo às pautas que este fórum tem promovido e priorizado.
Esta viagem também é para mim uma grande oportunidade de mostrar para o mundo o momento único em que vivemos em meu país e para apresentar a todos o novo Brasil que estamos construindo.
Nas eleições, gastando menos de 1 milhão de dólares e com 8 segundos de tempo de televisão, sendo injustamente atacado a todo tempo, conseguimos a vitória.

Assumi o Brasil em uma profunda crise ética, moral e econômica.
Temos o compromisso de mudar nossa história.
Pela primeira vez no Brasil um presidente montou uma equipe de ministros qualificados. Honrando o compromisso de campanha, não aceitando ingerências político-partidárias que, no passado, apenas geraram ineficiência do Estado e corrupção.
Gozamos de credibilidade para fazer as reformas de que precisamos e que o mundo espera de nós.
Aqui entre nós, meu ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, o homem certo para o combate à corrupção e o combate à lavagem de dinheiro.
Vamos investir pesado na segurança para que vocês nos visitem com suas famílias, pois somos um dos primeiros países em belezas naturais, mas não estamos entre os 40 destinos turísticos mais visitados do mundo. Conheçam a nossa Amazônia, nossas praias, nossas cidades e nosso Pantanal. O Brasil é um paraíso, mas ainda é pouco conhecido!

Somos o país que mais preserva o meio ambiente. Nenhum outro país do mundo tem tantas florestas como nós. A agricultura se faz presente em apenas 9% do nosso território e cresce graças a sua tecnologia e à competência do produtor rural. Menos de 20% do nosso solo é dedicado à pecuária. Essas commodities, em grande parte, garantem superávit em nossa balança comercial e alimentam boa parte do mundo.
Nossa missão agora é avançar na compatibilização entre a preservação do meio ambiente e da biodiversidade com o necessário desenvolvimento econômico, lembrando que são interdependentes e indissociáveis.

Os setores que nos criticam têm, na verdade, muito o que aprender conosco.
Queremos governar pelo exemplo e que o mundo restabeleça a confiança que sempre teve em nós.
Vamos diminuir a carga tributária, simplificar as normas, facilitando a vida de quem deseja produzir, empreender, investir e gerar empregos.
Trabalharemos pela estabilidade macroeconômica, respeitando os contratos, privatizando e equilibrando as contas públicas.
O Brasil ainda é uma economia relativamente fechada ao comércio internacional, e mudar essa condição é um dos maiores compromissos deste Governo.
Tenham certeza de que, até o final do meu mandato, nossa equipe econômica, liderada pelo ministro Paulo Guedes, nos colocará no ranking dos 50 melhores países para se fazer negócios.

Nossas relações internacionais serão dinamizadas pelo ministro Ernesto Araújo, implementando uma política na qual o viés ideológico deixará de existir.
Para isso, buscaremos integrar o Brasil ao mundo, por meio da incorporação das melhores práticas internacionais, como aquelas que são adotadas e promovidas pela OCDE.
Buscaremos integrar o Brasil ao mundo também por meio de uma defesa ativa da reforma da OMC, com a finalidade de eliminar práticas desleais de comércio e garantir segurança jurídica das trocas comerciais internacionais.

Vamos resgatar nossos valores e abrir nossa economia.
Vamos defender a família e os verdadeiros direitos humanos; proteger o direito à vida e à propriedade privada e promover uma educação que prepare nossa juventude para os desafios da quarta revolução industrial, buscando, pelo conhecimento, reduzir a pobreza e a miséria.
Estamos aqui porque queremos, além de aprofundar nossos laços de amizade, aprofundar nossas relações comerciais.
Temos a maior biodiversidade do mundo e nossas riquezas minerais são abundantes. Queremos parceiros com tecnologia para que esse casamento se traduza em progresso e desenvolvimento para todos.

Nossas ações, tenham certeza, os atrairão para grandes negócios, não só para o bem do Brasil, mas também para o de todo o mundo.
Estamos de braços abertos. Quero mais que um Brasil grande, quero um mundo de paz, liberdade e democracia.
Tendo como lema “Deus acima de tudo”, acredito que nossas relações trarão infindáveis progressos para todos.

Muito obrigado.”

Lobby Chinês? Motivos pelos quais não devemos importar tecnologia chinesa.

Lobby Chinês? Motivos pelos quais não devemos importar tecnologia chinesa.

Vou mostrar alguns dos motivos pelos quais não devemos importar tecnologia chinesa. Não tenho nada contra os chineses e seu regime, mas vejo uma preponderância do governo chinês em liderar o controle social, não somente na China, mas no resto do mundo, além disto, considero a ida de novos parlamentares com tudo pago pelo PCC-Chinês algo precoce. É lobby de certa forma.

1.º Este ponto de vista é subjetivo, mas não negociaria tecnologia com regimes autoritários e socialistas, já que suas ambições não se limitam apenas ao controle geral de seu território. Promover dependência desse tipo de governo pode levar a uma submissão no futuro, agredindo nossa soberania. Os chineses brincam de capitalistas, mas tem motivos escusos que não conhecemos e isso não é teoria da conspiração.

2.º Controle social. A China busca a moralidade através da censura, e isso envolve o uso de diversos aparatos tecnológicos para punir o cidadão dos seus desvios. À primeira vista a motivação pode parecer justa, mas beira a imoralidade. O governo impõe uma doutrina moral e não incentiva que seja algo “natural”, e isso, tem gerado uma sociedade unicamente preocupada com o cumprimento da lei, e não em ter em si, a sua essência. Considerando somente o aspecto de obtenção de resultados podemos dizer que é “lindo”, porém, o direito de não ser monitorado? E a liberdade de escolha? As pessoas não têm capacidade de decidir o que é certo ou errado? E a liberdade com responsabilidade? De fato a liberdade tem sido cerceada, e ainda assim os chineses acreditam que estão no caminho certo.

Longe de se sentir ameaçado por esse desenvolvimento, o chinês comum parece realmente aceitá- lo. Uma pesquisa da Ipsos de 2017 revelou que 47% da população considera o declínio moral como a maior ameaça do país e surpreendentes 87% acreditam que o país está indo na direção certa. De acordo com a mesma pesquisa, apenas 9% dos brasileiros pensam que seu país está indo na direção certa, e a maioria argumentaria que estamos passando por uma avaliação moral. (É importante notar que uma comparação transnacional dos resultados da pesquisa é complicada pelo monitoramento punitivo de críticas da China.)

Muitos chineses vêem o sistema de crédito social do país como uma maneira de lidar com o declínio moral. Fonte: Relações Públicas da Ipsos.

3.º Espionagem. Existem diversos processos criminais por espionagem, tanto na Europa quanto nos USA, onde cidadãos de Beijing coletaram informações dos mais diferentes setores, com o objetivo de fortalecer o seu mercado em tecnologia. Realmente, a China é muito superior ao Brasil no campo da tecnologia. Poderíamos aprender com eles, porém, não se pode aprender com quem rouba tecnologia (porque não?). Além disso, posso falar como profissional da área: muitos dos aparelhos tecnológicos chineses que chegam ao Brasil não têm qualidade. Basta você se perguntar, prefere um “iPhone” ou um “hiPhone”? Você compraria um carro produzido nacional ou um chinês?

O caso mais recente que envolve espionagem é o da diretora Meng Wanzhou, CEO da Huawei, presa no Canadá. Uma lei federal americana proíbe o Exército e o governo de usarem dispositivos da Huawei e da empresa chinesa ZTE por razões de segurança. Então pergunto, porque devemos importar tecnologia chinesa?

4.º Os chineses trabalham com uma mão de obra muito barata: algo em torno de R$ 805 reais, durante 70 horas semanais e com folga aos domingos, em chão de fábrica. Já em cargos de gerência o salário fica em torno de R$ 3.500,00. Existem diversos artigos sobre o trabalho escravo na China.

Em resumo, não sabemos ao certo quais os motivos reais dos chineses. Como parlamentar, não aceitaria o convite do PCC-Chinês para uma visita ainda que diplomática sem ao menos ter sido diplomado. Uma viagem com tudo pago, é lobby, e ainda não começaram o mandato.