O que não se mede, não se gerencia

Está é uma frase marcante que aprendi com o Professor Vicente Falconi, guru brasileiro da gestão. Bem no comecinho da minha carreira, tive a oportunidade de trabalhar com ele e seu time de consultores em alguns projetos voltados para a melhoria da gestão na administração pública.
A ideia de que só podemos melhorar aquilo que conhecemos, ou seja, que estamos medindo, é absolutamente central e muito poderosa. Pode parecer algo simples e óbvio, mas o setor público brasileiro ainda é pouco desenvolvido neste sentido.
Vamos olhar o exemplo da Segurança Pública, tema que infelizmente tem ocupado bastante espaço em nossas manchetes. Quando um governo estadual decide implementar um modelo de gestão de indicadores para reduzir os crimes, por exemplo, há uma grande chance de que o crime realmente irá diminuir. Modelos de gestão na segurança implementados em Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo demonstram isso.
A partir do momento que:
1) se definem quais serão os indicadores a serem medidos periodicamente;
2) que se definem metas para melhorar estes indicadores;
3) que todos se alinham para trabalhar por aquelas metas; o resultado começa a aparecer. Isto é, em poucas palavras, gestão.
Se em uma determinada região, todos os policiais sabem que a meta é reduzir em 10% o número de homicídios e reduzir em 20% o roubo de veículos, e que quem alcançar este resultado será recompensado com um bônus, estes policiais passam a trabalhar para bater a meta. É um incentivo. Da mesma forma, eles sabem que quem não bater a meta, terá que explicar ao final daquele mês os motivos de não ter atingido o resultado e apresentar para sua chefia um plano de ação corretivo. Assim, passa a ser feito um gerenciamento constante, baseado nos indicadores pactuados, e existem consequências positivas e negativas de acordo com o resultado.
Naturalmente, o desenho do sistema de metas e suas regras de incentivo tem que ser bem pensadas. A implementação deste gerenciamento no dia a dia requer disciplina, boa governança, e uma liderança atuante e alinhada a este propósito.
Como profissional do campo da gestão e tendo participado de projetos que já ajudaram governos a implementar modelos como estes, estou absolutamente segura que sem medir e gerenciar não vamos colher resultados melhores no setor público.
Source: fundação NOVO

Article by Flavia Goulart